21 novembro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!!

Continuando...

                                   No Azul do Vinho

                                      Capítulo 27

Quando entraram na fazenda, o coração de Phina acelerou, ela estava muito nervosa, feliz e ansiosa.
Sr. Carlos parou o carro e abriu a porta para ela, e um senhor veio até eles, os dois se cumprimentaram como velhos amigos, e ele o apresentou a Phina: - Este é o meu velho amigo Joaquim, pai de Bruno. E virou-se para sr. Joaquim e disse: - Esta é Phina, ela disse que conhece Bruno, estava na premiação dele na Itália.
E o sr. Joaquim a cumprimentou gentilmente e calorosamente, e disse: - Você é que prestigiou Bruno, ele falou de você, é um prazer conhecê-la!, se despediram do sr. Carlos e entraram no galpão, onde tinham muitos turistas, degustando vinhos, doces, queijos e suco de uva, o sr. Joaquim perguntou o que ela gostaria de tomar, e ela apontou para o suco de uva, pois amava tomar este suco. Ele a serviu, e pediu que ela aguardasse um pouco, iria chamar Bruno, pois ele estava terminando o almoço.
Phina não conseguia disfarçar, estava ansiosa, olhava as fotos antigas da família, que estavam no mural, amava todo aquele ambiente rústico, mas ao mesmo tempo acolhedor.
- O que você faz aqui?, falou Bruno bem hostil, tirando-a totalmente de seus pensamentos.
- Olá como vai, falou ela gentil, como assim, achei que você merecia uma explicação, eu tive que voltar as pressas, e não te deixei recado explicando, falando indignada com o jeito grosseiro de Bruno.
- Na Itália foi um lance de viajem, nada mais que isso, você já deve estar acostumada a isso, não?, falou Bruno irônico.
- Quem você pensa que sou, claro que não estou acostumada a este tipo de flerte, por isso estou aqui, falou Phina com a voz alterada e pensou: o que este homem está pensando, não sou aventureira e continuou: - Eu estava vulnerável sim, mas pra mim significou muito os dias que passamos juntos, esperava que pra você também, pelo menos achei que fosse sincero.

                                     Capítulo 28

- Amor, uma voz veio da outra porta do galpão, seu pai disse que tinha uma turista que estava na premiação e é sua fã?
Quando Phina olhou para ela, deparou com uma mulher linda, de olhos azuis, cabelos loiros claros, pele de boneca, perfeita, e ela o chamou de amor, era comprometido, pensou ela.
- Sim, esta é a Phina, e olhando para Phina disse:- Minha noiva Julie.
Elas se cumprimentaram. E Phina disse: - É um prazer conhecê-la, é uma pena mas tenho que ir, vou visitar outros lugares, apenas queria dar um oi para o Bruno.
- Não de jeito nenhum, veio dizendo sr. Joaquim, você prestigiou nosso filho, quando nós não pudemos, você fica pro jantar, não gostaria de conhecer os parreirais, pelo que Bruno nos contou você ama ficar no meio das uvas, das oliveiras e riu.
Enquanto ele falava Phina pensava: ele comentou sobre mim, e falou: - Sim, eu amo, é tão lindo as cores, o perfume, o sr. teria um chapéu?
E o sr. Joaquim disse todo feliz: - Claro vou pegar, venham, chamou Bruno e Julie. - Não o senhor sabe que odeio mato, não gosto de ficar no meio das plantações, disse Julie. - Sim eu vou papai, falou Bruno.
E foram passear, Bruno sempre ao lado deles, olhava pra ela sempre de maneira profunda, ela sentia seus percorrendo seu rosto. Riam muito, sr. Joaquim ficava orgulhoso em mostrar tudo para ela, mostrou as espécies de uvas que Bruno misturou, para chegar no vinho da premiação, falava com muito orgulho. Phina estava se divertindo muito e eles perceberam isso, ela colheu uvas e as experimentou, sr. Joaquim achou o máximo, porque normalmente as pessoas que visitam e colhem as uvas, querem lavá-las antes experimentar e Phina nem ligou, parecia fazer parte daquele cenário.
Ela sentia o olhar de Bruno, e toda vez que olhava pra ele, os seus olhos estavam brilhando. 

Continua...

Abraços e até mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu recadinho é muito importante.
E muito obrigada pela sua visita!!!
Silmara