26 fevereiro 2014

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Estou colocando esta descrição antes das postagens, pois algumas amigas estão me perguntando, de que livro estou tirando as postagens rs, e sou mesma que escrevo, se tivesse tirando ou me inspirando em algum livro, colocaria aqui com certeza, como sempre faço em minhas postagens. 
Como vocês sabem amo escrever, e há algum tempo estou com muita vontade de escrever um romance, e eis que comecei, e gostaria de saber a opinião de vocês nos comentários, ok?
Vou postar dois capítulos por dia, dentro do possível rsrs.
Não sou escritora, nem sei se este escrito pode ser chamado de livro, de um romance, mas para mim é uma obra rsrs, e me faz muito bem expressar estas estórias e quero compartilhar com vocês.

Continuando...
                                            No azul do Vinho

                                               Capítulo 45

Phina passou por vários exames, mas como ainda estava desacordada ficou em observação no hospital. Depois que o médico disse que ela estava bem, era só uma questão de tempo para acordar, o sr. Giuseppe e dna. Flora voltaram para casa, mas Bruno fez questão de ficar ao lado de Phina, e o médico autorizou.
Bruno ficou segurando a mão de Phina, as vezes acarinhando seu rosto, mas o cansaço não o deixou ficar assim por muito tempo, ele adormeceu na poltrona ao lado da cama.
Phina acordou de madrugada, meio atordoada não sabia onde estava, viu Bruno adormecido ao lado de sua cama, não entendeu nada, e voltou a dormir, pois a medicação a relaxava.
No amanhecer do dia, Bruno acordou e foi ao lado da cama e afagou o rosto de Phina, e ela abriu os olhos e sorriu: - onde estamos?, o que aconteceu?, ai! estou toda dolorida, e tentou levantar.
- Calma, falou Bruno, você caiu da escada, quando estava colhendo olivas, mas por um milagre de Deus, você não quebrou nada, não se lembra de nada?
Ela riu: - Sim me lembro, é que parece que fui socada, meu corpo dói todo. Mas o que você está fazendo aqui? Não deveria estar com Julie no hotel?
- Que estória é essa? Você não para de repetir, que Julie está no hotel, de onde você tirou que Julie está aqui comigo?, disse Bruno meio nervoso.
- Se ela estava atendendo seu celular dizendo que era sua noiva, pra deixar o recado com ela, acho que no mínimo ela deveria estar aqui com você, despejou Phina, quase sem respirar.
- Do que você está falando? O tombo deve ter afetado seus pensamentos, ela nunca atendeu o meu celular e muito menos estamos noivos, depois que você me visitou e conversamos, ela foi até a fazenda algumas vezes, mas nem ao menos falei com ela, seus pensamentos devem estar todos confusos. Você sim deveria estar acompanhado pelo seu ex, ou sei lá o que ele é, vi com meus próprios olhos, sua felicidade na companhia dele.Se alguém está errado aqui, é você, me enganou, não atendeu minhas ligações e quando fui te procurar, te encontro na maior felicidade com ele, e não foi um dia só, disse Bruno emocionado, mas disse tudo de uma vez.

                                                Capítulo 46

Phina ouviu tudo indignada com o que ele estava lhe dizendo e não estava entendendo muito bem, - De onde você tirou a ideia de me ver feliz com meu ex, eu apenas fui almoçar com ele, alguns dias, mais nada, e eu não estou confundindo as coisas. Estávamos conversando todos os dias na hora do almoço, se lembra? ou eu te ligava ou era você, em um desses dias Julie atendeu o seu celular, conheci a voz dela e fingi ser outra pessoa, e ela me disse que você estava arrumando um tonel, e que eu poderia deixar o recado para ela, que era sua noiva, o que queria que eu pensasse, você estava no Sul e eu em São Paulo, e lagrimas começaram a rolar de seu rosto, ela tentou disfarçar, mas ele percebeu.
Bruno se aproximou dela, afagou seu cabelo: - Não acredito! Que novamente fomos enganados pelo que achamos, ao invés de irmos conversar um com o outro. E pegou em seu queixo e a beijou, e Phina se deu por completo àquele momento. 
Alguém bateu à porta, e os tirou do momento deles. - Me desculpem, mas fiquei aflita para saber como você estava Phina, disse a mãe de Bruno, dna Maria Clara, seguida por sr. Giuseppe e dna Flora.
- Dna Maria Clara, o que está fazendo aqui? E vocês dois fiquem tranquilos estou bem, disse Phina muito feliz.
- Mamãe era acompanhante no Hotel, disse Bruno rindo.
E dna Maria Clara foi abraçar Phina, e os sr Giuseppe e dna Flora também, e o médico entrou e disse: - Vejo que nossa paciente está muito bem assistida, e sua aparência Phina está ótima, só que vou permitir que você vá para casa na fazenda do sr. Giuseppe, não no Hotel, ficar em repouso, pois da altura que você caiu, precisamos ficar atentos, ok?
- Pode deixar Dr., vou cuidar dela, e não deixarei que ela faça absolutamente nada, pois eu a quero muito bem, pois pretendo me casar com ela em breve, e Bruno virou-se para Phina ajoelhou-se e tirou do bolso um anel de doce e disse: - Phina quer se casar comigo? Eu amo você demais e não vou mais deixá-la escapar.
E todos no quarto se emocionaram. Phina nem conseguia falar, as lagrimas desciam por seu rosto, mal balbuciou: - Sim, eu te amo muito. E os dois se beijaram.

Continua...

Abraços e até mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu recadinho é muito importante.
E muito obrigada pela sua visita!!!
Silmara