29 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!!

Continuando...

                                  No Azul do Vinho

                                      Capítulo 17

Bruno a convidou para andarem a cavalo, Phina fica apreensiva, pois fazia muito tempo, que não cavalgava.
Bruno disse: - Venha, estou ao seu lado, vou segurando as rédeas do seu cavalo, vamos bem devagar.
Phina então concordou.
E saíram por aquela colina maravilhosa, com o vento batendo em seus rostos, Phina nem acreditava, e ele a olhava com seu sorriso lindo e ela lhe retribuía.
Pararam os cavalos em uma sombra deliciosa, de uma arvore centenária, linda. E dali eles podiam visualizar todo o vale e ver as plantações...
Ele colocou um tecido no chão, que retirou da sela do cavalo, e abriu a bolsa da sela e pegou duas taças e uma garrafa de vinho e uma queijo enrolado em pano de prato.
Ela olhou e riu: - Você é demais, como trouxe tudo isso e eu nem percebi?
- Vamos comemorar o nosso encontro, falou Bruno tão carinhosamente.
Ele a pegou pela mão, e a colocou para sentar no tecido e sentou-se ao lado dela, abriu o vinho e os serviu, brindaram, mas ela tomou só um pouco, pois não gostava de tomar bebidas alcoólicas.
Bruno entrelaçou seus dedos, nos cabelos dela, na altura da nuca e a trouxe para um beijo, ela ficou tão envolvida, que derrubou sua taça de vinho sobre eles, parando o beijo imediatamente e os dois rindo muito.
Ela vestia uma blusa branca linda, e agora estava toda manchada de vinho. Pegaram tudo e voltaram ao hotel de Banfi, e Bruno pegou o carro e a levou ao hotel Di Vicarello, onde ela estava hospedada, para que pudesse se trocar e ele voltou ao seu hotel e combinaram de jantar juntos.

                                        Capítulo 18

Quando ela entrou no hotel, a recepcionista já lhe deu o recado, que ligaram do Brasil, e era para entrar em contato urgente.
Phina correu ao quarto e já ligou para Cris, mas ela não atendeu no escritório, pelo horário deveriam ter saído para o almoço. Ela pensou, vou tomar meu banho, depois eu ligo.
Na pia do banheiro, tentou lavar a blusa, mas não conseguiu tirar a mancha, colocou pendurada no banheiro mesmo e depois mandaria para lavanderia do hotel.
Estava se arrumando, para jantar com Bruno, o telefone tocou, era da recepção, avisando que Bruno a aguardava. Phina pegou sua bolsa e saiu, e nem se lembrou que tinha que ligar para Cris, no Brasil.
Bruno a esperava próximo à entrada, quando a viu veio ao seu encontro e a beijou na testa, com muito carinho.
Phina estava nas nuvens nunca tinha sido tratada com tanto carinho e respeito, ele era perfeito.
Ela estava com um vestido de tecido leve, na altura dos joelhos, era meio azul, meio verde, o tecido mudava conforme ela andava. Bruno estava com um blazer nude, camisa branca meio aberta, ele estava lindo, pensou ela.
E saíram para jantar em Grosseto, apenas alguns kilometros dali.

Continuamos....

Abraços e até mais....

Mulheres Sábias

Bom dia !!!

Tem postagem nova em nossa página, visitem e curtam!!

https://www.facebook.com/pages/Mulheres-s%C3%A1bias/440295686018659?ref=hl

Abraços e até mais...

28 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!!

Peço desculpas, por não ter postado, por uma semana, estou trabalhando um pouco a mais, vou fazer o possível, para postar todos os dias.
Agradeço as visitas.

Continuando....

                                          No Azul do Vinho

                                            Capítulo 15

Começaram a apresentação para a premiação.
No momento em que Bruno subiu e pegou seu troféu, olhou para ela de uma maneira que nenhum outro homem a tinha olhado, ela estremeceu.
Ele desceu do palco e foi em sua direção, ela ficou sem jeito e ele a convidou para dançar, e ela concordou.
Parecia que estava no ar, não sentia seus pés no chão, era tão tranquilo estar nos braços de Bruno, que ela ficou extasiada, se sentia tão protegida, como jamais havia se sentido. E ele foi levando-a dançando até a varanda, onde podiam se deliciar com a brisa perfumada das uvas, dos ciprestes, era um momento único estar ali.
Ele a parou e colocou sua mão em sua nunca e a trouxe para um beijo, que a deixou encantada. Um olhou para o outro e se abraçaram, e só com o olhar sabiam que estavam ligados desde o primeiro instante em que se viram algo aconteceu.
Quando se viraram para entrar, deram de encontro com sr. Germano, sr. Giuseppe, sr. Genaro e famílias, todos rindo por verem os dois juntos.
Ele se ofereceu para levá-la, mas ela disse que não, pois o carro do Castelo di Vicarello a esperava.
Ele saiu meio correndo atrás do carro e acenou pra ela e recebeu o aceno de volta de Phina. 


                                       Capítulo 16

Phina acordou, nem acreditando na noite anterior, começou a rir e pular na cama, como uma criança de tão feliz que estava.
Aquele homem a deixou viva novamente, todos os sentimentos que estavam adormecidos, agora estavam aflorados.
O telefone tocou e a tirou de seus pensamentos, ela atendeu, era da recepção, dizendo que Bruno a esperava par o café da manhã. Phina disse que já estava descendo, se vestiu rapidamente, estava muito feliz.
Desceu e foi avisada que Bruno a esperava ao lado da piscina para o café, ela agradeceu e foi.
Quando estava se aproximando, Bruno levantou e foi ao seu encontro, a segurou com suas mãos em seus braços, quase a levantou de tão forte e a beijou.
Puxou a cadeira para ela, Phina estava na nuvens, tomaram o café, riram muito e ele a convidou para dar uma volta, e Phina concordou.
E quando ela entrava no carro de Bruno, a recepcionista ia chamá-la, pois alguém do Brasil, ligou para ela, mas não deu tempo, e ela avisou a pessoa que Phina já tinha saído.
Bruno a levou aos parreirais do Castello Banfi em Montalcino, pois hoje era dia de colheita e eles poderiam colher as uvas, se juntaram com alguns hospedes que já estavam colhendo, Phina amou fazer aquilo, nunca tinha colhido uvas antes, e Bruno viu o quanto ela era especial, pois se deliciava com gestos simples, amava estar neste meio rural, apesar de ser tão urbana.
Os funcionários do Banfi os esperavam com uma mesa farta, com sucos, frutas, croissant, embaixo das arvores, eles se lavaram e foram comer, riam muito.

Continuamos...

Abraços e até mais...  

17 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Continuando...

                                      No Azul do Vinho

                                        Capítulo 13

E então ela contou como se conheceram, e todos riram. Estava na hora de saber qual o nome dele e ela perguntou e ele lhe respondeu: - Bruno, e o seu? 
- Phina, e ela notou que ele chegou com uma garrafa de vinho e ficou curiosa, pois era a mesma que eles a tinham servido, e perguntou: - Onde encontro este vinho, tomo quase nunca, mas amei este vinho?
E todos riram e ela não entendeu.
E sr. Giuseppe, falou que o vinho era resultado de uma mistura de uvas, que Bruno tinha testado no ano passado e deu muito certo, e ele disse que ele estava na Itália para receber um premio, por causa do seu vinho.
Ela disse: - Parabéns, não entendo nada de vinhos, mas amei o sabor.
- Obrigado, disse ele.
- Quando vai receber o premio? perguntou ela.
- Amanhã a noite, no Castelo Banfi terá a festa de premiação, respondeu ele.
E Phina disse: - Ah sim, bem sr. Genaro, por favor me leve de volta ao hotel, preciso de um banho. 
Agradeceu muito a todos pelo carinho, pela experiência, pelo almoço e despediu de Bruno também.
E assim que saíram, sr. Giuseppe puxou Bruno pelo braço e começou a falar por quê ele não a tinha convidado para premiação, que ela era muito especial e que ele a deveria tratar melhor. Bruno balançou a cabeça negativamente, e falou que ele não a achava tudo isso, e sr. Giuseppe continuou, não a perca, você vai se arrepender.

                                          Capítulo 14

No dia seguinte, Phina acordou renovada, depois de ficar horas na hidromassagem e uma boa noite de sono.
Lembrou-se de ligar para Cris, para ver como estava tudo no escritório e Cris até riu, pois já faziam três dias que ela estava na Itália e nem se lembrou de ligar e disse que estava tudo bem, e se despediram.
No café da manhã, a recepcionista sobrinha do sr. Genaro, foi até Phina e lhe entregou o convite para a premiação de Bruno, disse que seu tio havia pedido a ela, para lhe entregar.
Phina não entendeu, mas agradeceu. Gostou da ideia de encontrar Bruno, em lugar mais sofisticado.
Foi até as lojas do hotel, para comprar vestido e sapatos, para logo mais a noite, pois não tinha trazido nada tão formal, e foi ao cabeleireiro também.
Quando Phina chegou a festa, logo viu Bruno, e ele a olhou surpreso, talvez querendo saber como ela estava ali, já que os convidados precisavam de convites para entrar, ela desviou o olhar, como se não o tivesse visto.
E foi abordada por um Senhor muito bem vestido, que disse a ela: - Phina?, ela fez que sim com a cabeça, e ele continuou dizendo sr Germano, irmão de Giuseppe e Genaro e ela sorriu dando-lhe a mão. Germano disse que os irmãos e famílias já estavam chegando, e ele e sua esposa ficaram conversando com Phina.
Quando ela se virou, para pegar algo para beber, deu de cara com Bruno, que já estava com uma taça na mão.
- Olá como vai?, disse ela.
E ele a olhou tão profundamente, que ela ficou sem graça e falou: - Você está linda!, como conseguiu o convite?
Phina não entendia, a elogiou tão carinhosamente e no mesmo instante foi arrogante, perguntando sobre o convite, e disse: - O sr. Giuseppe me enviou no hotel, como amo parreirais, vinho tudo isso, não vi mal algum em vir, te incomodo?
- Não, claro que não, respondeu Bruno.

Continuamos....

Abraços e até mais...

15 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Continuando...

                                      No Azul do Vinho

                                          Capítulo 11

Phina resolveu ficar aquela noite em seu quarto, descansando e pensando no que aconteceu naquela tarde, e nem mesmo o nome daquele homem ela sabia, mas sentiu um arrepio quando se lembrou, e lembrou-se também da frieza que ele a tinha tratado, não usava aliança, mas talvez fosse casado ou noivo.
Acordou bem disposta, mas resolveu perguntar na recepção, se tinham um táxi ou algo assim, para que a levasse onde quisesse, assim não teria que se preocupar e passar pelo sufoco do dia anterior. A recepcionista do hotel, disse a ela que seu tio poderia fazer isto por alguns euros e Phina concordou.
Ela falou ao sr Genaro, tio da recepcionista, que gostaria de conhecer os parreirais, as oliveiras e tirar muita fotos, ela ficou feliz que poderia olhar sem se preocupar.
Phina percebeu que ele entrou em uma propriedade, cheia de pés de oliveiras, ficou deslumbrada, ele a levou para casa de um de seus irmãos o sr Giuseppe, e estavam se preparando para a colheita, eles a receberam muito bem, e perguntaram a Phina  se queria colher azeitonas com eles, e ela aceitou toda empolgada.
Pegaram as escadas, e foram colocando nos pés carregados de azeitonas e começaram a colher, Phina se divertia muito, e ao mesmo tempo era tanta emoção, que ela não se conteve e as lágrimas marejavam em seus olhos, nem acreditava ela estava na Itália colhendo azeitonas, quando d. Vittorina, mulher do sr Giuseppe, correu e abraçou Phina e entendeu sua emoção.

                                       Capítulo 12

Chegaram da colheita, e uma mesa enorme, cheia de comidas saborosas, estava posta debaixo de uma arvore enorme, tão fresca. D. Vittorina a chamou para se lavar um pouco sentar-se à mesa, ela pensou, isto só pode ser um sonho, mas o sr Giuseppe a chamou e lhe ofereceu um copo de vinho, Phina tentou dizer que não bebia, que era muito, mas impossível fazê-lo parar, ela tomou um gole, para não parecer desagradável, e se surpreendeu nunca tinha tomado um vinho tão delicioso, também não era difícil  já que bebia bem de vez em quando. Fechou os olhos para guardar aquele momento.
Mas o abriu rapidamente, quando ouviu um barulho de pick up, parando bem próximo a eles, e quem desceu? Nada menos, nada mais que o homem do dia anterior.
Ela tentou se ajeitar um pouco, pois afinal estava colhendo azeitonas, quando ele a viu, balançou a cabeça e lhe perguntou friamente: - O que você faz aqui? Que grosseiro, pensou ela e disse: - Estou colhendo azeitonas.
E o sr Giuseppe os interrompe, perguntando como eles se conhecem e foi explicando que ela tinha pago ao sr Genaro, para levá-la para conhecer a região e ele a tinha trazido para colher azeitonas e ela gostou muito e que até chorou.
Ele balançou a cabeça e rindo disse: - Como chorou?, olhando para ela e a reprovando. E ela pensou, que homem chato, ele se acha, é arrogante.

Continuamos...

Abraços e até mais...

14 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Continuando...

                                  No azul do Vinho

                                       Capítulo 9

Catarina e Cris levaram Phina ao aeroporto, que ainda faz mil recomendações para Cris, ligar, mandar mensagens se tiverem algum problema, que ela volta o mais depressa possível. E as duas riram e disseram em coro: - Sim, vamos te ligar, não se preocupe.
Phina chega ao hotel Castello di Vicarello em Cinigiano a 40 km de Siena, um autêntico castelo do séc. XII, que virou um hotel boutique, lindas e antigas paredes de pedra, os jardins com aquele ar que só a toscana tem, o perfume dos ciprestes, belos gramados, um lago majestoso, encantador, por volta  das dez horas da manhã.
Phina ficou encantada com o lugar, saiu para caminhar, tudo ali parecia mágico, respirou tão profundamente aquele ar perfumado pelos ciprestes, os parreirais a perder de vista, ficou deslumbrada.
Foi ao seu quarto, tomou um banho, desceu comeu alguma coisa e foi a recepção, para perguntar como alugava um carro para conhecer o lugar.
Em instantes, já tinha um carro aguardando Phina, ela agradeceu e saiu para dar uma volta, mesmo sem conhecer nada do lugar.
Disseram a ela para seguir pela Via Vicarelllo e entrar pela Strada Provincialle Poggi del Sasso, e lá foi ela, já estava no meio da tarde e o sol invadia aquela estrada, de um lado uma plantação de uvas e do outro oliveiras.
Phinaa nem sabia por onde olhar, de tão lindo. De repente, um solavanco e o carro ficou estranho, ela parou, desceu e não acreditou, dois pneus furados de uma só vez, em todos esses anos Phina nunca precisou trocar um pneu de seu carro, e agora? Ela já estava meio distante do hotel, já estava na estrada Provincialle, e de tão empolgada percebeu que não tinha pego seu celular, restava sentar-se, admirar a paisagem e esperar que alguém passasse por ali para ajudá-la.

                                        Capítulo 10

Não demorou nem 15 minutos, e Phina avistou uma pick up, pulou e acenou, o motorista parou e ela foi ao seu encontro, quando se aproximou, ele foi abrindo a porta, e Phina se deparou com um rapaz alto, pele morena, cabelos loiros meio avermelhados, lembrava um pouco ruivo, olhos claros, ela não conseguiu decifrar se verdes ou azuis, quando o levantou seus óculos de sol, 
mas ela viu um homem lindo a sua frente, engoliu e disfarçou e falou:
- Me desculpe, atrapalhar seu trajeto, mas estou hospedada no Vicarello, e deixei meu celular, e furou os dois pneus de uma só vea, não sei o que aconteceu?
Ele a olhou com superior, e disse seco e meio esnobe: -Eu sei, você passou em cima daquela cerca caída, ali atrás, ele balançou a cabeça, como se dissesse  como ela fez isso?, continuou: - vou chamar o guincho da companhia de aluguel, tudo bem? 
- Sim, disse ela meio sem graça, e em seus pensamentos só conseguia ouvir a voz dele, rouca, que voz era aquela°, pensava ela, continuou ela: - você é brasileiro, fala tão bem o português?
- Sou, estou fazendo uma degustação no Castello Banfi, logo ali a frente, minha família tem uma vinícola no sul do Brasil, disse ele.
- Nossa!! que interessante, fiquei encantada com os parreirais  acho que foi por isso que não vi a cerca caída, riu Phina sem graça.
- Você se perdeu do seu grupo, perguntou irônico.
- Não, riu Phina, estou sozinha, vim descansar um pouco.
Chegou o reboque, ela o agradeceu e se despediram.

Continuamos...
Abraços e até mais...

No Azul do Vinho

Olá meninas!!
Continuando...

                                No Azul do Vinho

                                     Capítulo 7

Lágrimas escorriam de seus olhos, sozinha, na banheira, soluçava lembrando que ela mesmo tinha empurrado Pedro para os braços de Luiza.
No outro dia, Phina novamente chega ao escritório abatida, Cris logo percebeu, e não poderia deixar a amiga assim. Ligou para Catarina, irmã mais nova de Phina, que estava prestes a se casar e atarefada com os preparativos do casamento, mas quando Cris lhe contou, sabia que sua irmã precisava dela, mesmo sendo mais nova, sempre deu conselhos a Phina.
Phina pediu a Lucas, um de seus assistentes, que marcasse uma reunião com sr. Emílio, para que eles escolhessem o projeto para o filho.
Quando Catarina chegou ao escritório, abriu a porta da sala de Phina, que estava olhando para o nada na janela, onde a vista era linda, os ipês estavam todos floridos, exibindo sua esplendidas cores, que eram um calmante para alma, mas Phina nem o reparava, apenas olhava...
Ela deu sobressalto, quando Catarina entrou toda animada e falando bem alto: - Phina minha querida, não fique assim.
Phina a olhou com reprovação, sabia que Cris a tinha chamado.
- Bem, continuou Catarina, você vai viajar, já comprei as passagens.
- O quê?, interrompeu Phina, claro que não, estamos com muitos projetos em andamento, não posso me ausentar, imagine viajar, só você mesmo Catarina.
- Estou dizendo que vai e pronto. Sua passagem é para daqui três dias, para a Itália, mais precisamente na região da Toscana.
Phina balançou a cabeça e deu sorrisinhos, como quem está dizendo: de onde ela tirou isto? 
Catarina nem deixou Phina abrir a boca, e ela nem abriu mesmo, era impossível debater com Catarina. Elas se abraçaram e Phina concordou: - Está bem, você venceu, vou viajar, mas apenas por uma semana, ok?
- Sim, sim, disse Catarina toda animada.

                                     Capítulo 8

Lucas veio avisar Phina, que o sr Emílio, já estava na sala de projetos, aguardando apenas ela, que hesitou, mas sabia que tinha que ir, e acabar logo com essa situação, colocar um ponto final na história dela e Pedro.
- Bom dia, disse Phina tentando ser o mais natural possível, já que se deparou com Pedro e Luiza, não esperava que eles viessem, apenas o sr Emílio, pai de Pedro e no máximo sua mãe d. Alice, e estavam os quatro esperando por ela.
- como estão todos?, continuou ela, sentem-se, ah já foram servidos, muito bom, estavam todos tomando café e suco.
- Bem, continuou Phina, Lucas pode começar com a apresentação dos projetos; que Lucas os fez em 3D, de acordo com o que o sr. Emílio lhe havia passado.
Phina estava se segurando ao máximo, para ser natural, mas era impossível, vero os olhos de Pedro seguir seus passos e seus olhos, ela estava estremecida por sentir sua respiração tão próxima, já que Pedro sentou-se perto dela.
Phina era uma mulher muito bonita, com cabelos compridos, castanho médio, pele clara, olhos castanhos claros, dentes perfeitos, uma boca sensual e carnuda, e ela sempre estava com uma maquiagem impecável e discreta, que destacava ainda mais sua beleza. Hoje com 27 anos, estava deslumbrante com saia lápis nude, blusa de renda também nude, blazer azul turquesa, sabia que esta cor a favorecia muito, sapatos de salto alto nude, deixando seu corpo bem elegante, podia sentir a respiração palpitante de Pedro, que mal olhava para a apresentação dos projetos.
Claro que Luiza percebeu o clima, e começou a falar com Pedro: - Amor, qual projeto você mais gosta?
- Você decide, meu amor, disse ele meio sem graça, já que não tinha prestado atenção.
Phina entrou na conversa, para terminar logo com aquela situação: - Bem, o Lucas pode enviar os projetos por e mail, e assim vocês podem escolher com calma e depois nos avisam, deu um sorrisinho.
Luiza já se levantou, dizendo ótimo. Se despediram e saíram.

Continuamos....

Abraços e até mais...

10 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Continuando...

                                     No Azul do Vinho
                               
                                      Capítulo 5

Phina acordou com o celular vibrando, mais uma mensagem de Pedro, e ela sentou assustada, leu a mensagem que dizia: - Estou chegando hoje, as oito horas da manhã, te espero no aeroporto, era de Pedro. E ela percebeu que já faziam duas semanas que Pedro viajou, e ela nem falou com ele e nem respondeu suas mensagens, e já eram oito horas, Phina ficou sem atitude, não sabia que desculpa dar a Pedro.
Quando ele chegou ao saguão do aeroporto, procurou, olhou e nada de Phina, balançou a cabeça, como quem não estava acreditando, ela nem veio buscá-lo? Ficou desapontado.
E mais uma vez Luiza estava lá, e lhe ofereceu uma carona, já que seu carro estava no estacionamento do aeroporto, e ele aceitou.
Phina pegou seu carro e saiu com tudo, mas sabia que não chegaria a tempo, parada no transito, enviou uma mensagem para Pedro, dizendo: - Estou no transito, não vou chegar a tempo, onde você está?
Pedro leu a mensagem e a ignorou, pois ele e Luiza estavam rindo muito.

                                      Capítulo 6

Phina chega à casa de Pedro, e se depara com uma cena que a deixou desconcertada, Pedro e sua família, estavam rindo muito com Luiza contando
sobre suas aventuras em Bora Bora.
- Olá!!, disse Phina, e todos a olharam, - meu amor, que saudades, com sorriso no rosto e correndo para abraçá-lo.
Mas Pedro mal a olhou, estava muito chateado com as atitudes dela nos últimos dias. Ela ficou sem graça, e Luiza percebendo o clima tenso, foi logo se despedindo, Pedro foi carinhoso com ela e Phina percebeu.
Tentando concertar seus erros, jogou a culpa nele, dizendo:- Foi por isso que não me ligou mais e nem mensagens me mandou?
- Você está reclamando do quê?, ironizou Pedro, - mandei muitas mensagens, te liguei, e você não me atendeu, nem me ligou e muito menos me respondeu as mensagens, ou mandou alguma, e hoje nem me buscar você foi, com a voz embargada de tristeza, ele engoliu e continuou: - Phina, se você não quer mais ficar comigo, então tá, já entendi o recado, vamos terminar tudo agora, não aguento mais ficar em segundo plano em sua vida, já que em primeiro está sua tese, sua profissão, eu nem entro na sua vida.
Phina ainda tentou chegar perto de Pedro,mas não conseguiu, sabia que o tinha perdido, e naquele momento ficou até aliviada, não sabia decifrar seu sentimento, virou as costas e foi embora.


Continuamos amanhã, deixem seus comentários.

Abraços e até mais....

09 outubro 2013

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!
Mais dois capítulos.

                                     No Azul do Vinho

                                          Capítulo 3

E foi neste período que o namoro começou a desmoronar, Phina envolvida em seus estudos, deixou Pedro totalmente de lado, e ele foi viajar sozinho.
Coincidência ou não encontrou no mesmo voo, Luiza uma garota de sua sala,
que se derretia por ele, não por menos...
Pedro era um rapaz muito bonito, cabelos pretos bem cortados, penteados para trás, meio Elvis, pele morena, quando tomava sol ficava com uma cor...
maravilhosa, seus dentes perfeitos por usar aparelhos durante anos na adolescência,seus olhos castanhos escuros quase negros, sua boca carnuda, seu sorriso era de matar.
E Luiza não era a única, que se derretia por ele. Quando ela o avistou, vou logo cumprimentá-lo, e já perguntou por Phina, e ele lhe respondeu meio trite:
- Ela está envolvida com a tese e não pode vir.
- Ahh que pena! disse Luiza, claro que na realidade estava amando a situação, poderia ser sua chance.
E os dois estavam indo ao mesmo destino, e ainda ficariam no mesmo hotel,
e detalhe sozinhos...

                                         Capítulo 4

Enquanto Phina estudava, pesquisava, não atendia o telefone e nem respondia as mensagens de Pedro.
E em Bora Bora, um paraíso onde o azul do céu se funde com as águas azul esverdeadas do oceano, uma paisagem que é capaz até de aclamar um coração triste e chateado como o de Pedro.
Luiza fazia companhia a ele, no café da manhã, no almoço, nos mergulhos, nos passeios, ela não perdeu a chance e se mostrou muita amiga, para que ele percebesse o quanto ela o fazia rir e até esquecer um pouco de Phina.
Luiza era muito bonita, alta, magra, morena clara, cabelos pretos intensos, olhos castanhos esverdeados, boca bem feita, dentes bonitos, um corpo bem definido, uma beleza comum, mas sempre estava sorrindo e seu sorriso era encantador, era prestativa, doce e ao mesmo tempo sensual.
Os dias foram passando, e os dois foram ficando mais próximos. Pedro já não enviava mensagens ou ligava para Phina, ficou bem entretido com Luiza e seu bom humor, os dois gostavam de mergulhar, de dançar salsa, que aprenderam rapidinho.

Continuamos amanhã.

Abraços e até mais...

08 outubro 2013

No Azul do Vinho




Olá Meninas!!!

Quanto tempo heim, mas nunca é tarde para reavivar as amizades, concordam?
Como vocês sabem amo escrever, e há algum tempo estou com muita vontade de escrever um romance, e eis que comecei, e gostaria de saber a opinião de vocês nos comentários, ok?
Vou postar dois capítulos por dia.
Não sou escritora, nem sei se este escrito pode ser chamado de livro, de um romance, mas para mim é uma obra rsrs, e me faz muito bem expressar estas estórias e quero compartilhar com vocês.

                                      No Azul do vinho

                                            Introdução

Phina uma mulher de 27 anos, bem sucedida profissionalmente, decidida,
parece mais uma rocha, mas no fundo é doce, sensível e com o coração 
partido. Deixou a profissão falar mais alto que o amor.
Sua vida muda totalmente, quando fica sabendo que o amor de sua vida,
estava para se casar com outra. Phina acha que tudo acabou, que não
valeu a pena, colocar a profissão em primeiro lugar, mas nas curvas da 
vida, ela descobre algo importante, que o amor pode estar no azul do vinho.
Em sua viagem, na região da Toscana, na Itália, Phina encontra suas origens,
o seu verdadeiro eu e o seu grande amor?
Mas será que Phina está pronta para viver sua história de amor?
Será que os compromissos deixados no Brasil, em seu escritório de arquitetura, não vão atrapalhar de novo, sua vida sentimental?

                                        Capítulo 1

Phina entra em seu escritório, com ar desanimador. Está exausta, por tantas
obras nos últimos meses.
Sua assistente e amiga Cris, lhe entrega um novo projeto, a pedido do sr Emílio, um cliente que investe em construção civil e utiliza muito o serviço do
escritório de Phina, e  agora está com um projeto de casa para dar de presente ao seu filho Pedro, que acabou de ficar noivo e marcou a data do casamento. 
Phina entra em sua sala, bate a porta e desaba em lágimas, já tinham se passado três anos desde a ultima vez que viu Pedro e Luíza. Não estava acreditando, no que acabou de ouvir, ele ficou noivo e marcou a data do casamento.
Cris entrou com uma xícara de chá, para tentar acalmar a amiga, ela sabia que aquela notícia tinha acabado com Phina, abraçou-a tentando consolá-la.
Phina foi se acalmando e continuou o dia de trabalho, que parecia não terminar.
Chegando em sua casa confortável, por volta das vinte e uma horas, entrou em seu quarto de oitenta metros quadrados, decorado com peças modernas,
foi até ao banheiro, colocou a banheira para encher, ligou a hidro e colocou
seus sais aromáticos para relaxar.
Entrou na banheira, com meia luz apenas, fechou os olhos e começou a lembrar...

                                         Capítulo 2

Phina e Pedro estudavam na mesma faculdade, mas em cursos diferentes,
ela fazia arquitetura e ele engenharia em nanotecnologia. Os dois se conheciam desde o jardim de infância, e quando começou o romance entre eles, no primeiro ano de faculdade, as famílias vibraram, pois todos viam as afinidades dos dois.
Pedro sempre fazia surpresas para Phina, mandava flores convidando-a para jantar, até cozinhava e fazia jantares a luz de velas, as meninas se derretiam por ele, mas Phina era meio fria, não ligava para o romantismo de Pedro.
Ela o amava, mas não dava atenção suficiente a ele. E os anos foram passando, e namoro ía sem muitas emoções.
Phina estava concentrada em seus estudos, e já estava se preparando para assim que passasse a formatura, já começaria sua tese em doutorado e mestrado, pois queria mostrar uma arquitetura mais ecológica, linda e funcional.
Pedro queria que os dois fossem viajar, pelo menos por duas semanas, para descansarem um pouco e ter a certeza de seus sentimentos para firmarem um compromisso mais sério, mas infelizmente Phina não pensava assim...

Abraços e até mais...

Continuamos amanhã.